Entrevista sobre alfabetização precoce




Caros pais e mestres,


Abaixo está a entrevista com a psicopedagoga e escritora de e-books infantis Maria Tereza Pereira de Almeida www.insightpsicopedagogia.com.br sobre a alfabetização precoce:


Maria de Fátima: O que seria “alfabetização precoce”?

Maria Tereza: A alfabetização precoce ocorre quando aceleramos o processo de aprendizagem da criança.

A alfabetização precoce pode comprometer o desenvolvimento da criança, ocasionando problemas como sobrecarga, deficiências na coordenação motora, apatia, desinteresse, desmotivação e estresse.

Maria de Fátima: Os pais exigem demais que a criança seja alfabetizada cedo? Por que?

Maria Tereza: Muitas vezes, sim. Querem antecipar as etapas, pois ficam preocupados , ansiosos e comparam seus filhos com outras crianças. Querem resultados rápidos com a vaidade de seus filhos estarem muito adiantados.

Com isso pulam estágios importantes, tornando seus filhos inseguros e muitas vezes causando bloqueios nesse processo.

Precisam lembrar que cada um tem o seu ritmo e tudo ocorre no tempo certo.

Maria de Fátima: Como os pais devem se comportar nessa fase tão importante que é a alfabetização?

Maria Tereza: É importante nessa fase que a criança desenvolva sua criatividade para adquirir autonomia. Os pais devem incentivar as crianças nessa fase lendo histórias, livros, gibis e contos de fadas.

Maria de Fátima: Qual é a faixa etária melhor para a alfabetização ocorrer?

Maria Tereza: O processo de alfabetização deve se iniciar no primeiro ano do Ensino Fundamental, por volta dos 6 anos de idade.

Maria de Fátima: O que os pais e escolas podem fazer para evitar a alfabetização precoce?

Maria Tereza: Evitar comparações, respeitar o ritmo da criança, estimular a criatividade, ler em voz alta para as crianças sem pressões para motivar a imaginação e interesse.

Maria de Fátima: O que fazer com crianças que estão acima dessa faixa etária, com cerca de 8, 9, 10 anos de idade e que ainda não conseguiram ser alfabetizadas?

Maria Tereza: Pode ser que foram alfabetizadas de uma forma inadequada ou seria necessário investigar se a criança apresenta alguma dificuldade neurológica.

Maria de Fátima: Como o seu trabalho como psicopedagoga poderia auxiliar uma criança que apresenta dificuldades na alfabetização?

Maria Tereza: O trabalho da psicopedagoga é muito importante no processo da alfabetização. Ele vai identificar diversos fatores que podem dificultar a aprendizagem.

Apresentará soluções através de atividades lúdicas, como jogos, contação de histórias e artes, despertando assim, o interesse da criança.


Um grande abraço,

Maria de Fátima

Consultora pedagógica

www.idiomascomarte.com

8 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo